Sol da Meia Noite

Sexta Sessão - A reunião

Agosto de 2010

Paris

Em um moquifo de Paris, após uma noite de caçada Dante Leone recebe uma mensagem. Encontre e mande para nós, era o que ela dizia nas entrelinhas. Na mensagem, a foto de um rapaz em frente a um bar. Em uma breve pesquisa, ele descobre seu próximo intinerário: Berlim. Pesquisas feitas, descobre ser este um filhote, humano desaparecido há mais ou menos 6 meses nos Estados Unidos, no Estado de Iowa.

Mais uma cidade, menos um vampiro! Chegando em Berlim Dante Leone procura um motel perto do bar onde a foto havia sido tirada há 3 dias atrás. Da estação de trem pega um taxi com um motorista indiano com quem conversa e combina a volta. O taxista indica outro motel, pois aquele era muito “barra pesada”. Dante Leone aceita a sugestão.

Ao chegar no hotel, que era um hotel de prostitutas, Dante Leone descobre que o outro hotel que ele ficaria era mais perto do bar onde o alvo se encontrava. Ele anda até lá, uns 8 quarteirões. Esse bar fica exatamente na frente onde era o muro de Berlim.

Dante Leone entra e descobre ser um Pub normal, pouca iluminação, fumaça de cigarro deixando o ambiente enevoado, muitas pessoas conversando, um bar onde todos se aglomeram. Com a paciência de quem muito já caçou ele senta e espera. Depois de umas duas horas a presa chega. Ele observa a criança da noite tentar seduzir a vítima, uma linda loira que está totalmente embriagada. Consegue e sai rumo à noite que está no final. Os primeiros momentos da manhã se aproximam…. o filhote se apressa e, por um momento Dante Leone o perde de vista. Quando consegue achá-lo a vítima já não mais pertence a este mundo! Ele a encontra encostada no muro. Morta.

Dante Leone o enxerga entrando pela janela de um motel, fugindo dos primeiros anseios da manhã. Ele entra e, após uma breve luta, o sanguessuga está imobilizado. Dante Leone informa que a encomenda está pronta. Ele é pego e levado embora. O caçador volta para seu hotel. No caminho recebe uma mensagem : King Kobra em Brasília. Brasil. A fúria surda da vingança arde dentro dele. Sem pensar duas vezes, liga para o Taxi Driver levá-lo ao aeroporto. Boa viagem caçador, cuidado! São as últimas palavras que o indiano fala antes dele descer.

Dante Leone embarca para o Brasil.

Brasília, QG Sol da Meia Noite

Logo após o enterro de Manolo (Bruce), que se dá de uma forma bem medieval, Sonya pede a Superintendente Marcelo do Santos Braga para ir a QG pegar uns documentos e livros que ela deixou lá. Superintendente Marcelo do Santos Braga nunca chega! Ele é sequestrado no meio do caminho.

Enquanto esperam por Marcelo, Sonya convoca uma reunião com JC, para falar sobre o que Manolo estava trabalhando. Ela explica o que está acontecendo na cidade e a dinâmica de como eles trabalham. Estão presentes Di Menor, Ana Celi Lisboa e Prof. Celius. Assuntos são tratados e Prof. Celius ainda está meio assustado com o “andar da carruagem”!

Jonas Cléber aka JC dá um “piti” com a sinceridade de Sonya e Di Menor, pois não gosta do que escuta! Mas ouve a razão e resolve voltar atrás!

Nesse ínterim Sonya recebe uma ligação informando que Superintendente Marcelo do Santos Braga tinha sido sequestrado e estava em uma mansão do Park Way. Rumam todos para lá.

Park Way

Eduardo Aguiar vai a uma festa na casa de PO e é convidado para ficar até mais tarde, quando aconteceria uma reunião mais particular. Ele aceita. Nessa festa estão várias personalidades de Brasília, entre políticos e emergentes. Jack também está lá.

Eduardo Aguiar entra em uma sala com várias cadeiras dispostas em um semicículo com três grandes cadeiras em posição de destaque. Ele senta-se na última cadeira à esquerda e Jack senta-se ao seu lado. PO apresenta Eduardo Aguiar aos outros. Depois um homem alto e bonito fala de poder, liderança, futuro e deixa todos maravilhados.

Jack deixa a sala logo depois do discurso. Eduardo Aguiar somente olha e nada diz.

Lá fora

Chegam o grupo do Sol da Meia Noite, com Mendigo alopradamente no volante. Todos saem e rapidamente começam a circundar a casa, procurando por seguranças e entradas. Prof. Celius vê um quadro de um demônio pela janela e fica impressionado. Fora isso, parece haver uma certa movimentação na cozinha, e algumas empregadas trabalhando. Mendigo vai à porta da frente para chamar a atenção das empregadas, e o resto do grupo se dirige para os fundos da casa.

Di Menor arromba a porta e o grupo entra. Prof. Celius relutantemente recebe uma arma, e não faz a menor idéia do que irá fazer com ela. Dentro da casa, ele vê um quarto aberto com alguns vultos, e o aponta para o resto do grupo. Quando eles apontam suas armas para dentro e tomam posicão de ataque, ele acha melhor sair dali…

Logo do lado é a porta da cozinha, e as empregadas parecem estar lá. Celius entra apontando inexperientemente sua arma (e agradeçendo que armas sejam assustadoras, não importa o quão inepta a pessoa a segurando seja), e rende as empregadas. Algumas se desesperam, um servente se borra, e uma empregada mais velha senta-se calmamente.

Celius libera os empregados amedrontados, e manda que fujam pela porta dos fundos com cuidado. A empregada mais velha pergunta se Celius quer alguma coisa, e ele aceita um chá, ainda apontando sua arma vagamente na direção dela. Mendigo entra, e Celius se senta para tomar seu chá com a cozinheira, que lhe diz ser um contato de Manolo, e que a situação tá ferrada, cês demoraram…

No salão

Ngate 02

Apagam-se as luzes e a penumbra uma menina é trazida nua e chorando muito por pessoas encapuzadas que a prendem no chão exatamente em cima do pentagrama, que brilha verde. Eduardo Aguiar não consegue se mover, talvez por algo que tenham colocado em sua bebida, ou pelo simples fato de estar aterrorizado. Cânticos começam e a platéia entra em uma espécie de transe.

Quando a menina está prestes a ser executada há uma invasão na sala. Di Menor entra e começa a quebrar tudo em um frenesi animalesco e vai atrás daquele que é mais importante, mas ele some num piscar de olhos. Suas mãos ardem como fogo a ponto de parecerem vermelhas.
Ana Celi Lisboa, também em frenesi atira em todos que se movem, matando 4 pessoas a queima roupa. Jonas Cléber aka JC, mais controlado, somente empunha sua arma. Galanteador como sempre, vai ajudar a moça em perigo (principalmente por ela estar nua!) Sonya, percebe que caiu numa armadilha, pois fora enviada ao local errado…. Superintendente Marcelo do Santos Braga não está lá! Ela sabe que e se encontrá-lo de novo estarão em lados opostos…

Após a confusão Alexandra Blackwell descobre Eduardo Aguiar caído embaixo de uma cadeira, todo ensanguentado. Ela pergunta se ele está bem e o examina. Vê que o sangue e líquido cerebral não é dele, mas do homem que teve a cabeça explodida pela shotgun de Ana Celi Lisboa. Eduardo Aguiar vai à cozinha lavar o rosto e vê a insólita cena de Prof. Celius e a cozinheira tomando chá e Mendigo na porta.

Alexandra Blackwell chama a polícia e eles têm menos de 5 minutos para sair. Prof. Celius tenta pegar o pesado quadro; Di Menor o ajuda, pega o quadro com uma mão, enquanto carrega a menina desmaiada no ombro. Eduardo Aguiar descobre que seu carro não mais está lá. O único jeito de ir embora antes que a polícia chegue é com esse grupo exótico, o que ele decide fazer, apesar de contrariado. Conseguem chegar na van e Mendigo vai dirigindo, conseguindo sumir na escuridão, quando já se avistavam as luzes das patrulhas e o barulho das sirenes.

No caminho

Ana Celi Lisboa grita de dor e desmaia e o amuleto que lhe foi dado sai de sua perna deixando Prof. Celius embasbacado. O amuleto brilha vermelho no chão, e ele o pega com cuidado; entretando, o amuleto está frio. Ele fica estudando o amuleto durante um tempo, enquanto Alex cuida de Ana Celi.

Então, passando perto da Papuda, o grupo vê um certo brilho verde familiar pelo mato… e então a van é cercada de gremlins, tentando matar todos dentro. Prof. Celius avalia a reação dos Gremlins ao Amuleto (e vice-versa): o Amuleto brilha azul, as criaturas parecem ficar mais agressivas. Algumas rajadas de balas e curvas rápidas depois, os Gremlins são história, e o grupo segue para o QG.

Sonya nada fala a viagem de volta! Ela está perdida…. mais uma péssima notícia para colocar em seu diário… mais uma longa noite, mais uma perda para a noite.

Comments

helenavontsc helenavontsc

I'm sorry, but we no longer support this web browser. Please upgrade your browser or install Chrome or Firefox to enjoy the full functionality of this site.